AUTOMOBILISMO: Assessora diz que Schumacher tem situação 'estável', mas estado ainda é crítico.

A assessora do piloto concede entrevista na entrada do hospita
A situação do ex-piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher, em estado crítico desde sua entrada no Hospital Universitário de Grenoble, na França, é "estável" neste momento, assinalou sua porta-voz, Sabine Kehm, em entrevista à imprensa nesta quarta-feira.
Sabine, que falou para dezenas de jornalistas do lado de fora do centro hospitalar, considerou uma "boa notícia" que o estado do ex-piloto tenha se mantido estável durante a noite e a manhã.
Ela também afirmou que não será organizada uma nova entrevista coletiva a menos que haja uma evolução.
Os médicos que tratam do ex-piloto disseram na terça que tinha sido constatada uma "leve melhoria" em seu estado e que da noite da segunda para terça-feira ele foi submetido a uma segunda cirurgia, de duas horas, para eliminar um hematoma que tinha sido detectado na área esquerda do cérebro, o que aliviou a pressão intracraniana.
No entanto, os médicos também disseram que ainda restavam "muitas hemorragias" cerebrais, sem dizer se realizariam novas operações.

Entenda o caso
Schumacher esquiava na manhã do último domingo na estação de Meribel, nos Alpes franceses [região sudeste do país], com todo o aparato de segurança necessário, inclusive o capacete, mas fora da área de pista, quando sofreu um acidente e bateu fortemente a cabeça em uma pedra.
O ex-piloto lemão foi socorrido em apenas oito minutos e levado, de helicóptero, para o hospital Moutier, localizado a 17 quilômetros do local da queda.
Em seguida, foi transferido para outro hospital, o de Grenoble, onde foi submetido à primeira cirurgia, passou pela segunda entre a noite de segunda e a manhã desta terça e permanece internado.
Schumacher tem uma casa na estação de Meribel. O local do acidente fica a 1.450 metros de altitude, subindo até 2.952 metros em seu ponto mais alto, onde se liga com a região do conjunto dos Três Vales, onde estão algumas das estações de esqui mais famosas (e mais caras) do planeta.
Só na última semana, cinco esquiadores morreram na França, sempre praticando o chamado "esqui extremo" fora da pista, o que levou autoridades a pedir especial prudência na prática do esporte, já que as atuais condições meteorológicas não estão favoráveis

Comentários