COPA LIBERTADORES 2015: River bate o Guaraní-PAR e abre vantagem para o jogo de volta da semi.

RODRIGO MORA FEZ O SEGUNDO DA VITÓRIA DO RIVER, UM GOLAÇO
BUENO AIRES - O River Plate fez valer a vantagem de jogar em seus domínios neste terça-feira (14/7) e abriu uma vantagem importante na busca por uma vaga na decisão da Copa Libertadores.  Jogando no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, pelo duelo de ida da semifinal, a equipe argentina bateu o Guaraní (PAR) por 2 a 0. Os gols que garantiram a vitória mandante foram marcados por Mercado e Rodrigo Mora, ambos na segunda etapa.

Na capital argentina, os donos da casa demoraram a superar a defesa do Guaraní, que não sofria gols desde a última rodada da primeira fase. Fechados na zaga, os algozes do Corinthians nas oitavas de final do torneio barraram bem os avanços do River antes do intervalo, mas levaram susto com bola na trave de Carlos Sánchez.
Decididos a construir o resultado em casa, os millonarios voltaram dos vestiários com Pity Martínez no lugar do veterano Lucho González, e continuaram pressionando. Abriram o placar aos 14 minutos com o lateral Mercado e deram números finais ao duelo com lindo gol de cobertura de Rodrigo Mora aos 27.

No segundo jogo, marcado para a próxima terça (21) no Estádio Defensores del Chaco, na capital paraguaia Assunção, os argentinos poderão perder por até um gol de diferença ou, caso balancem as redes, poderão sofrer até três tentos e ainda garantir a classificação à final.
Dominando a posse de bola nos primeiros minutos, o River chegou pela primeira vez aos três, quando Rodrigo Mora foi à linha de fundo e cruzou para Alario na área, mas o atacante por pouco não conseguiu alcançar a bola. Os paraguaios, no entanto, responderam em seguida em jogada rápida na qual, após boa troca de passes, Aguilar recebeu de Palau e cruzou fechado, mas Barovero saiu bem para ficar com ela.
Aos 10 minutos, a superioridade mandante quase resultou em gol. Após nova jogada pelo lado direito, Alario recebeu cruzamento na área e cabeceou com firmeza para boa defesa do goleiro Aguilar, que deu rebote para Carlos Sánchez, mas o meia finalizou rápido e acertou a trave direita da meta paraguaia, desperdiçando boa chance.
O Guaraní voltou a oferecer perigo aos 21 minutos, quando Benítez fez boa jogada individual, entrou driblando na área do River e bateu, mas foi bloqueado pela defesa. O que se via, na sequência, era maior posse de bola e jogadas tramadas pela equipe mandante, enquanto a formação paraguaia buscava os contra-ataques.
Ainda houve tempo para polêmica na primeira etapa. Aos 38 minutos, Carlos Sánchez chegou à linha de fundo pelo lado direito e cruzou na área, mas a zaga rebateu e Lucho González pegou o rebote. O veterano dominou, girou bem sobre a marcação e armou o chute, mas sofreu contato da defesa e caiu, pedindo pênalti, mas o árbitro Daniel Fedorczuk mandou o jogo seguir.

Por mais gás no segundo tempo, Gallardo trocou o experiente meia Lucho González por Pity Martínez. Mesmo com a modificação, o River seguiu jogando de maneira semelhante à primeira etapa: dominando a posse de bola e aparecendo mais no contra-ataque, mas com dificuldades para superar a forte marcação adversária.
Aos 14 minutos da etapa complementar, no entanto, os donos da casa enfim conseguiram superar o bloqueio paraguaio. Após cruzamento na área, a zaga não conseguiu afastar e a bola pingou na frente do lateral Gabriel Mercado, que bateu forte e estufou as redes para fazer a festa da torcida no Monumental de Núñez.
Buscando construir boa vantagem em casa por uma vaga na decisão, o River avançou sua marcação e passou a pressionar a saída de bola adversária. A reação do treinador Fernando Jubero foi mudar o meio-campo, colocando Contrera no lugar de Juan Aguilar, mas em seguida da alteração, foram os donos da casa que balançaram as redes. Aos 27 minutos, Rodrigo Mora tabelou com Alario, invadiu a área do Guaraní pela direita e, com muita categoria, encobriu o adiantado goleiro Aguilar para fazer um golaço no Monumental.
Nervosos, dois atletas visitantes receberam cartões amarelos logo na sequência: o atacante Federico Santander, por reclamação, e o zagueiro Maldonado, por falta dura no campo de defesa. Nem a entrada do atacante Fernando Fernández no lugar do zagueiro Patiño mudou a situação dos paraguaios na partida, e o River, que ainda teve as entradas de Saviola e Mayada nas vagas de Alario e Ponzio, garantiu boa vantagem para a partida de volta.


Comentários