FUTEBOL INTERNACIONAL: Dirigente alemão nega compra de voto para sediar o Mundial de 2006.

WOLFGANG E BECKENBAUER SÃO CITADOS NA DENUNCIA DA DER SPIEGEL
BERLIM - Após serem acusados de comprar votos para sediar a Copa do Mundo de 2006, os cartolas alemães resolveram se pronunciar. O ex-vice-presidente do Comitê Organizador da Copa naquele ano, Fedor Radmann, negou qualquer envolvimento na compra de votos e disse está a disposição para conceder as explicações.
"O comitê organizador subornou alguém. Inclusive, estou pronto para testemunhar. Não compramos nenhum voto" afirmou ao canal Skil após a reportagem da revista alemã Der Spiegel sobre as fraudes.
A Federação Alemã de Futebol também, se pronunciou ao divulgar um comuncado negando a acusação de que quatro membros asiáticos teriam sido subornados para votar na Alemanha como pais sede da Copa de 2006, no qual a Itália foi a campeã.
Ainda segundo a revista Der Spiegel, o esquema teriam a participação de Franz Beckenbauer, um dos maiores jogadores da história do futebol alemão, e do presidente da Federação Alemã de Futebol, Wolfgang Niersbach.

Comentários