FUTEBOL INTERNACIONAL: Cristiano Ronaldo decide, e Real Madrid vence Barcelona de virada.

OS TORCEDORES DO BARÇA HOMENAGEIAM CRUYFF ANTES DO JOGO
BARCELONA - Em noite de comoção por homenagens a Cruyff no Camp Nou, o Real Madrid pediu licença e se vingou da goleada sofrida para o Barcelona, batendo de virada o rival por 2 a 1 neste sábado. De quebra, os Merengues acabaram ainda com a invencibilidade do Barça, que já durava 39 partidas. Benzema e Ronaldo marcaram para os Blancos, enquanto Piqué fez para os culés.

Com o resultado, o Barcelona segue na liderança do Campeonato Espanhol, com 76 pontos. Já o Real Madrid permanece em terceiro, com 69. Na próxima rodada, o Barça visita a Real Sociedad, enquanto os Merengues recebem o Eibar.


O JOGO
Barcelona tomou conta do primeiro tempo, principalmente quando se tratou de posse de bola. O time catalão manteve seu estilo e tentou furar o bom bloqueio formado pela defesa do Real Madrid. A equipe da casa teve chances com Rakitic e Messi, mas a mais clara quem perdeu foi Suárez, que furou após cruzamento de Neymar.

BENZEMA ABRIU O PLACAR PARA O REAL COM UM GOLAÇO
Já o Real Madrid estava em campo disposto a contra-atacar, mas não conseguiu encaixar uma jogada. Porém, ainda assim, Ronaldo com chute no meio do gol e Benzema, de voleio, assustaram Bravo. Só que como se tratava de clássico, não poderia deixar de haver polêmica. Messi entrou na área e foi derrubado por Sergio Ramos, mas a arbitragem mandou o jogo seguir, fazendo os ânimos ficarem ainda mais exaltados e cartões amarelos foram distribuídos para os dois lados.

A partida seguiu truncada na etapa complementar, porém, os gols sairam. Primeiro, Piqué acertou bela cabeçada e colocou o Barcelona na frente. Mas o Real Madrid não deixou o rival comemorar e empatou em linda meia-bicicleta de Benzema. Tudo levava a crer que iria dar empate, até que Sergio Ramos foi expulso.

Vantagem para o Barça? Nada disso. Logo na sequência, Ronaldo, que até então estava sumido, matou no peito após cruzamento e bateu para por fim a invencibilidade do rival.

Comentários