FUTEBOL INTERNACIONAL: Após ser julgada por entrar em estádio, iraniana ateia fogo em si e morre

IMAGEM (INTERNET)
TEERÂ (IRÂ) - A iraniana Sahar Jodayari, de 29 anos, que ateou fogo no corpo após saber que poderia ser condenada à prisão por tentar entrar em um estádio de futebol, algo proibido para as mulheres no Irã, não resistiu aos ferimentos e morreu.
Antes de atear fogo em si, ela havia ficado três dias detida e foi liberada após pagar fiança.
Segundo a BBC, uma audiência teria sido marcada para o início de setembro, mas quando a mulher chegou ao tribunal, soube que a sessão havia sido adiada. Ao receber a notícia do adiamento, e ouvir que poderia ficar entre seis meses e dois anos de prisão caso fosse condenada, ela saiu do prédio e ateou fogo em si, tendo mais de 90% do corpo queimado.
Após cometer tal ato, ela foi socorrida e levada para um hospital, em Teerâ, onde passou alguns dias no Centro de Tratamento Intensivo, mas não resistiu às queimaduras.
Desde de 2018, quando a Arábia Saudita eliminou a proibição às mulheres em estádios, o Irâ se tornou o único país a proibir a presença de mulheres em estádios com eventos esportivos, apesar da pressão da FIFA.
O caso teve uma grande repercussão nas redes sociais, com manifestações pedindo à FIFA que pressione Teerã a permitir a ida de mulheres aos estádios. O time Esteghlal, no qual Sahar era torcedora ofereceu suas condolências à família da jovem.



Comentários